Pular para o conteúdo

Nova versão: Grandes mudanças

Nova versão: Grandes mudanças

O Tracker ganhou da Chevrolet um novo design e motores menores e mais modernos, para ficar mais atraente para os consumidores da sua categoria

Em alguns modelos de segmentos com vendas expressivas, a Chevrolet é líder de mercado. Isso acontece com o Ônix (hatchs pequenos), Cruze (hatchs médios), Ônix Plus (sedans compactos). Além disso, o Cruze é o terceiro sedan médio mais comercializado. O bom desempenho desses veículos, no entanto, não acontece com o Tracker, SUV compacto da marca. Entre os concorrentes da sua categoria, ele ocupa apenas a oitava posição.
A versão que pode ajudar a mudar esse quadro foi lançada tendo como principais atrativos dois motores turbos pequenos (1.0 e 1.2) de três cilindros e promessa de economia de combustível, item importante em um segmento de carros grandes movidos a álcool ou gasolina e que não rendem tão bem quanto os modelos a diesel nesse quesito.
O Novo Tracker tem, além das duas opções de motorização turbo já citadas, duas opções de transmissão de seis marchas (manual e automática) e quatro opções de acabamento (versão de entrada, LT, LTZ e Premier). Em relação ao espaço, a principal alteração foi no porta-malas, cuja capacidade passou de 306 para quase 400 litros. Comprimento, largura e entre-eixos tiveram poucas alterações: aumento de 1,2 cm no primeiro e 1,5 cm na segunda e no último.
O modelo vem equipado com rodas de alumínio de série. Na versão Premier, elas são de 17 polegadas com superfície usinada e fundo cinza metálico. Os faróis são totalmente de LED, luzes de condução diurna (DRL) e sistema de luz auxiliar lateral que amplia em 11% a área iluminada em manobras e curvas. A luz de sinalização dianteira também é de LED e fica no para-choque. Na versão Premier existem LEDs também nas lanternas traseiras.
No interior, o painel ficou mais largo e foi levemente rebaixado. Tem tela central de LCD de oito polegadas tipo pedestal e quadro de instrumentos com tela de 3,5” TFT colorida na qual estão velocímetro e conta-giros com ponteiros iluminados por LEDS e visor do computador de bordo de até 14 funções. Entre essas funções estão indicador de distância do veículo à frente, monitoramento da pressão dos pneus e percentual da vida útil do óleo.
O volante conta teclas para comando do limitador de velocidade e do piloto automático no lado esquerdo e botões de atalho para o sistema multimídia e para o comando de voz. Há um carregador wireless apoiado sobre o console central, que se estende até os comandos do ar condicionado, da tecla que permite a desativação do sistema Stop/Start, e os botões das travas das portas e do assistente de estacionamento.
Para os ocupantes do banco traseiro, houve aumento das dimensões nas áreas das pernas (+74 mm), dos ombros (+46 mm) e da cabeça (+19 mm). No Novo Tracker, os assentos são do tipo anfiteatro, ou seja, quem viaja atrás senta em um patamar mais alto para melhorar visibilidade. Também para melhorar a sensação de espaço interno, o modelo ganhou janelas extras laterais.
Em relação à segurança, o Tracker tem estrutura nova na carroceria, com maior percentual de aços de alta resistência e mais uma série de tecnologias de proteção aos ocupantes. Entre elas estão seis airbags, controle eletrônico de estabilidade e assistente em partida em rampa de série em toda as versões. O sistema de freios conta os seguintes recursos:
• Assistente de frenagem capaz de identificar potenciais situações de perda de eficiência de frenagem por aquecimento do sistema, como acontece em descidas de serra, por exemplo. Nestes casos, o veículo aumenta automaticamente a pressão do conjunto hidráulico para que o motorista não precise elevar muito a força no pedal para realizar as frenagens;
• Sistema de freio em curvas: o veículo analisa constantemente a velocidade, a aceleração lateral e o ângulo de esterçamento do volante para otimizar a distribuição da força de frenagem em cada roda, aumentando a estabilidade e melhorando a dirigibilidade;
• Recurso que ajuda a manter a trajetória em frenagens em linha reta, podendo aplicar uma força específica em cada roda, compensando variações comuns de aderência da pista ou da distribuição irregular do peso de carga, por exemplo;
• Sistema de alerta de colisão com frenagem autônoma em caso de emergência para mitigar ou mesmo evitar acidentes. Com uma câmera no parabrisas e sensores ultrassônicos, ele detecta a aproximação de algum veículo à frente. Primeiro, o Novo Tracker tenta alertar o condutor com um alarme sonoro e um facho luminoso refletido na base do parabrisas. Caso não haja reação, o sistema aciona automaticamente os freios.
O pacote de segurança do Novo Tracker ainda oferece alerta de ponto cego, sensores de estacionamento dianteiros, traseiros e laterais com indicação gráfica no computador de bordo e câmera de ré com linhas guias que projetam a movimentação do veículo conforme o ângulo de esterçamento do volante.
Em relação a conforto, um dos itens que vale ressaltar é o assistente de estacionamento semiautônomo para vagas paralelas e perpendiculares (de série apenas na versão top de linha Premier). O sistema é capaz de girar o volante sozinho e passa instruções de manobra para o motorista na tela do veículo.
Outro é a chave “inteligente” de série a partir da versão LT. Quando o condutor se aproxima com ela, o veículo permite o destravamento das portas e o acionamento da ignição por botão. O Novo Tracker também pode vir equipado com retrovisor eletrocrômico, que temporariamente para evitar ofuscamento da visão do motorista enquanto um veículo logo atrás trafega com a luz alta ou desregulada, por exemplo.
Falando mais detalhadamente sobre os motores, a Chevrolet afirma que o downsizing (nome que se dá, no setor automotivo, à adoção de motores menores e mais eficientes) deixou o Novo Tracker até 17% mais econômico. Seguem os dados mais importantes deles: o 1.0T tem 16,8 kgfm de e 116 cv de potência. Já o 1.2T tem 21,4 kgfm e 133 cv.
Na configuração de entrada, com transmissão manual, o Novo Tracker mostrou rodar – segundo a montadora – médias até 14,8 km/l com gasolina e 10,4 km/l com etanol, em perímetro rodoviário, e até 13 km/l com gasolina e 9 km/l com etanol em trechos urbanos. Com transmissão automática a fábrica diz que as médias de consumo 1.0T são 13,7 km/l (gasolina) 9,6 km/l (etanol) e 11,9 km/l (gasolina) e 8,2 km/l (etanol), respectivamente. Já o modelo 1.2T percorre na estrada, também segundo a Chevrolet, médias de 13,5 km/l (gasolina) e 9,4 km/l (etanol). Na cidade, os números passam para 11,2 km/l (gasolina) e 7,7 km/l (etanol). Quanto ao comportamento em acelerações e retomadas de velocidade, o Novo Tracker 1.0T tem aceleração de 0 a 100 km/h em 10,9 segundos.
Outro destaque sobre os novos motores é que a Chevrolet garante menos custos e trabalho com manutenção. “Componentes mecânicos foram reposicionados e/ou otimizados para que o tempo necessário para a execução dos serviços (de troca) fosse drasticamente reduzido. Tudo isso resultou em uma redução de mais de 20% no custo de manutenção do carro”, diz a empresa.
Sobre tecnologias de conectividade, O Novo Tracker tem sistema de internet de alta velocidade nativo. Ou seja, ele faz parte da arquitetura eletrônica do veículo, permitindo atualizações remotas, como acontece com smartphones. O Wi-Fi da Chevrolet é uma parceria com a Claro, e o condutor precisa adquirir planos de dados que vão de 2 GB a 20 GB por mês.
Há também o aplicativo myChevrolet. Através dele, é possível consultar informações do computador de bordo. Ele também dá acesso a funcionalidades como relatórios por viagem, por dia, semana ou mês. Já o sistema multimídia, que na Chevrolet tem o nome de MyLink, agora permite o pareamento simultâneo de até dois celulares por Bluetooth. O sistema é compatível com os sistemas Android Auto e Apple CarPlay para projeção de aplicativos, incluindo os principais de trânsito online e os de troca de mensagens, como o Whatsapp. Para evitar distrações, há comandos por voz.

Preços do novo Tracker (de entrada, sem pintura metálica)
1.0 turbo (manual)
R$ 82.000
1.0 turbo LT (automático)
R$ 89.900
1.2 turbo (automático)
R$ 90.500
1.2 turbo LTZ (automático)
R$ 99.900
1.2 turbo Premier (automático)
R$ 112.000