Pular para o conteúdo

Um carro de 16 milhões de reais

Um carro de 16 milhões de reais

Com produção limitada a 60 unidades, o superesportivo da Bugatti tem características quase inacreditáveis como 1.500 cavalos de potência e um motor com nada menos que 16 cilindros

Pura emoção de dirigir e muita adrenalina. É o que promete a Bugatti, fábrica italiana de superesportivos com o Chiron Pur Sport, uma evolução do modelo conceito Chiron. Em relação ao carro que o inspirou, o Pur Sport ganhou melhorias tecnológicas no chassi, na caixa de câmbio e no motor. De acordo com a fábrica, ele ficou “mais radical, mais agressivo e mais dramático”.
Fazendo uma analogia com a clássica história “A bela e a fera”, a Bugatti diz que o modelo é uma combinação harmoniosa de beleza do design e furor no desempenho. A configuração do chassi teve foco na garantia de que o condutor possa realizar manobras precisas e com dirigibilidade dinâmica até em estradas desafiadoras e com muitas curvas.
O Chiron Pur Sport vem com o motor Bugatti W16, que como o nome já entrega, tem nada menos que 16 cilindros. É um colosso projetado para ter a potência de dois V8. No novo modelo, o W16 recebeu um aprimoramento, resultando em melhoria na elasticidade e na aceleração. A faixa de rotações por minuto (RPM) aumentou de 6.100 para 6.900. Os números beiram o inacreditável: 1.500 cavalos de potência e 163 kgf.m de torque. Só para efeito de comparação, o Audi R8, superesportivo da marca alemã, tem 610 cavalos. É uma marca incrível, mas representa menos da metade da potência do Chiron Pur Sport.
Combinado com esse motor, para proporcionar melhor aceleração e ainda mais elasticidade, 80% da caixa de marcha do modelo foi otimizado para garantir uma relação de transmissão curta – item que faz toda a diferença em um superesportivo. Todas as 7 marchas foram reduzidas em 15%. Como resultado, o Chiron Pur Sport, na 6ª marcha, acelera de 60 a 120 km por hora, quase 2 segundos mais rápido do que o Chiron. E a velocidade máxima é de 350 km por hora. Vale ressaltar que ela é limitada eletronicamente, por razões de segurança. O carro tem potência para ir além desse patamar.
Com um desempenho desses, a aderência ao solo está entre os fatores mais importantes para o modelo. Por isso, o pára-choques dianteiro ganhou entradas de ar maiores que as do Chiron original, um difusor mais baixo combinado com uma versão modificada da grade em forma de ferradura (marca registrados carros da Bugatti) e paralamas dianteiros remodelados com saídas de ar integradas. Além da maior aderência, o conjunto garante melhor gerenciamento térmico, graças à circulação melhor do ar.
Ainda em relação à aerodinâmica, a parte traseira ganhou um difusor maior e uma asa traseira fixa. Ambos os componentes fornecem uma enorme quantidade de força para baixo, o que também contribui para aumentar a aderência no solo. Na asa traseira, o sistema hidráulico que equipa o Chiron foi substituído por um dispositivo de acionamento automático. E o novo sistema de escapamento foi impresso em 3D. Segundo a Bugatti, essas duas últimas medidas levaram a uma significativa redução de peso do Pur Sport em relação ao modelo que lhe deu origem.
Também houve mudança na suspensão do chassi para melhorar a aceleração lateral (força que joga o motorista para fora nas curvas). As molas dianteiras ficaram 65% mais rígidas e as traseiras, 33%. O modelo ganhou novos amortecedores e buchas e estabilizadores de carbono adicionais, para melhorar a aderência mesmo em velocidades surpreendentemente altas.
Para deixar o motorista com mais liberdade para experimentar de forma mais intensa sua marca pessoal na condução, os sistemas de assistência – como o ESP, por exemplo – foram revisados. O Chiron Pur Sport tem o modo de direção adicional Sport+. Com ele, o controle de tração entra em funcionamento mais tarde, permitindo que o motorista ajuste seu estilo de direção pessoal sem a interferência de recursos de segurança.
Para os pneus, a Bugatti desenvolveu, em conjunto com a Michelin, o Sport Cup 2R, tamanho 285/30 aro 20 para a dianteira e o 355/25 aro 21 para a traseira. A estrutura do pneu modificada e a uma nova mistura de borracha levaram a 10% mais aderência e possibilidade de maior velocidade nas curvas. Cada uma das rodas de magnésio pode ser opcionalmente equipada com asas de carbono para melhorar o resfriamento e o fluxo de ar.
Como consumidores de um carro desse tipo também fazem questão de muito luxo, o interior do Chiron Pur Sport tem, nos painéis das portas, um revestimento em dois tons elaborados pela Alcantara, uma empresa de design italiana especializada na elaboração de produtos sofisticados para vários segmentos, entre eles o automotivo.
Segundo a Bugatti, esse artifício de dois tons “cria tridimensionalidade e acentua o caráter arrojado da imponente máquina de dirigir” que é o Chiron Pur Sport. No design externo, o carro trouxe uma nova divisão horizontal de cores que permite aos compradores escolher combinações personalizadas, ou seja, ter um carro com visual absolutamente exclusivo.
Com uma produção limitada a apenas 60 unidades, o Chiron Pur Sport tem um preço digno da exclusividade. A “módica” quantia de 3,26 milhões de dólares (com o dólar a R$ 5,00, algo como 16,3 milhões de reais).

Dados técnicos
Velocidade máxima: 350 km / h (limitada eletronicamente)
Potência: 1.500 cv a 6.900 rpm
Torque: 163 kgf.m de 2.000 a 6.000 rpm
Relação peso-potência: 1,19 kg / cv
Consumo de combustível: 2,84 km por litro (urbano) e 6,57 km por litro (estrada).