Pular para o conteúdo

Made in Ceará: Produção local

Made in Ceará: Produção local

Empresa cearense fabrica bugues e jipes que representam opções off road mais acessíveis para os consumidores aficionados por este universo

Quem viveu no Ceará nas décadas de 1980 e 1990 (até a abertura do mercado brasileiro para os importados) com certeza vai lembrar que a grande referência, na época, de veículo off road eram os bugues. Com a mecânica simples do Fusca, enormes rodas traseiras e extremamente leve devido à sua carroceria de fibra de vidro, eles dominavam o cenário e, em muitos casos, eram até o carro principal de algumas famílias.
Com o promissor mercado, até fábricas de bugues prosperavam no Estado, com modelos lançados em novas versões mais sofisticadas e bonitas – à semelhança do processo que acontece nas grandes montadoras. A entrada dos jipes 4×4 – especialmente os japoneses – que veio com a abertura do Brasil aos importados, no entanto, abalou o setor e resultou no fechamento das principais produtoras locais, por causa da concorrência.
Passada a euforia, no entanto, muitos consumidores já caíram na real e constataram que um 4×4 tem preço inacessível, geralmente, próximo dos R$ 100 mil. E aos poucos, o mercado para os bugues foi renascendo. Tanto que algumas fábricas voltaram à atividade na década de 2000. Uma delas é a Companhia do Buggy, do empresário Nil Araújo, que hoje produz um bugue e um jipe destinados principalmente, segundo ele, a consumidores das regiões Sul e Sudeste.
Com quatro versões dos modelos, que custam entre R$ 45 mil e R$ 65 mil (bem mais em conta, portanto, que os sofisticados veículos off road das grandes montadoras), a empresa oferece várias opções: motor bicombustível ou a diesel e no caso do jipe, tração 4×2 ou 4×4, cabine com dois ou cinco lugares e ar condicionado como opcional.
Começando pelo bugue, que tem nome de Cauype e é fabricado desde 2002, uma das diferenças mais significativas em relação aos seus predecessores é que o motor do Fusca, refrigerado a ar, deixou de ser usado e deu lugar ao 1.6 refrigerado a água do Gol Geração 6 – mais moderno e bem mais silencioso. Um dado curioso é que para resolver o problema da refrigeração, já que o design do bugue não comporta um radiador na dianteira, o componente foi colocado na parte traseira, com dois ventiladores. Esse sistema de arrefecimento não deixa a temperatura do motor subir e não ferve em nenhuma hipótese”, garante Nil.
Já o jipe Quatrax, lançado em 2014 com uma versão de dois lugares e design inspirado em um modelo chinês de 800 cilindradas, é a grande estrela da fábrica. “Ele é um UTV com cara de jipe”, explica Nil, fazendo referência à sigla dos Utility Vehicles, pequenos veículos feitos para uso específico para ambientes off road. O empresário destaca, no entanto, que o modelo produzido em sua fábrica tem mais que a “cara de jipe”. “Ele pode ser emplacado e rodar normalmente na cidade. Já os UTVs só podem ser usados em trilhas”, explica. Fechado com capota de lona, equipado com air bags e freios ABS e tendo o ar condicionado como opcional, o jipe tem uma versão com tração 4×4 desenvolvida com tecnologia local.
De acordo com Nil, o jipe tem feito tanto sucesso que levou a fábrica se dedicar mais à sua produção, desenvolvendo um modelo com cinco lugares que foi lançado em janeiro deste ano. Alem disso, a empresa está construindo uma nova linha de montagem e espera chegar à marca de 10 jipes produzidos por mês.
Terra de aficionados pelo universo off road, o Ceará tem um histórico de empreendedores criativos na arte de criar veículos robustos e acessíveis para este tipo de aplicação. Além dos bugues, o exemplo mais contundente disso é o Troller, cuja fábrica foi comprada pela Ford em 2007. Por isso, é bom prestar atenção no Quatrax que será produzido em série na futura linha de montagem da Companhia do Buggy.
Quem se interessou pelos modelos pode obter mais informações sobre a Companhia do Buggy através do facebook na página Cia do Buggy Mania, no instagram @nil_araujo_buggy ou pelo telefone 3087-9012.