Pular para o conteúdo

Novo Honda Accord híbrido

Novo Honda Accord híbrido

O modelo é o primeiro com a tecnologia e:HEV no Brasil. A Honda anunciou a intenção de, até 2023, ter três carros no Brasil com propulsão que combina motores elétrico e a combustão

Finalmente a tecnologia de carros híbridos chegou a um modelo da Honda comercializado no Brasil. Tudo bem que ela veio no sedan de luxo Accord, exemplar com poucas vendas no país, mas a representatividade da mudança é o que importa. A montadora informou que ele é o primeiro dos três carros híbridos que ela planeja lançar por aqui, e que há um plano de eletrificação para o mercado local.
Lentamente, vamos nos aproximando do que já é uma realidade em vários países do mundo, que é a diminuição efetiva dos veículos movidos somente com motores a combustão. A Honda ainda ressaltou seu objetivo de que 2/3 das vendas globais da marca sejam de veículos eletrificados até 2030, com a meta de atingir a neutralidade de carbono até 2050. Só não informou qual vai ser a participação do Brasil nesse total.
O Honda Accord é equipado com a tecnologia batizada pela montadora de e:HEV. Ele usa dois motores elétricos combinados a um motor 2.0 a combustão. Há três modos principais de operação: EV Drive (100% elétrico), Hybrid Drive e Engine Drive. O sistema alterna automaticamente entre eles de forma suave, buscando a máxima eficiência.
O modo EV Drive, 100% elétrico, é usado em condições de baixa velocidade ou de aceleração suave. O sistema nesse modo tem 184 cv e 32,1 kgfm de torque. O modo Hybrid Drive aciona também, quando necessário, o motor a combustão, que tem 145 cv e 17,8 kgfm de torque. No terceiro modo, o Engine Drive, apenas o motor a combustão funciona. “Esse modo é acionado em velocidades mais altas de cruzeiro, quando o motor a combustão trabalha em sua faixa de maior eficiência energética”, diz a Honda.
Um dos recursos do sistema é uma função chamada seletor de desaceleração. Ele permite, por meio de seletores atrás do volante, controlar o nível de desaceleração do veículo. Além dos modos Sport e ECON, que alteram a aceleração, essa função de seleção de desaceleração atua quando o condutor retira o pé do acelerador. O sistema pode ser usado como incremento do freio motor quando há um carro à frente, em trechos sinuosos, em uma redução no sinal vermelho ou mesmo em descidas. Com todos os recursos tecnológicos combinados, a promessa do Accord híbrido é de um consumo de 17,6 km/l na cidade e 17,1 km/l na estrada.
Um detalhe que a Honda ressaltou sobre o carro é que ele oferece aos ocupantes o mesmo espaço interno da versão com motor à combustão. Mas isso não chega a ser um grande feito, já que a tecnologia de baterias tem evoluído com muita rapidez e elas ocupam cada vez menos espaço com a mesma capacidade de carga ou até a ampliando. E isso não é um privilégio da Honda.
Em relação a conforto para condutor e passageiros, o sistema de áudio do Accord híbrido agora permite a integração com as tecnologias Apple CarPlay e Android Auto sem a necessidade de fios, por conexão Bluetooth. Além disso, o carregador por indução no console central está mais potente, com 15 Watts. Os ocupantes do banco traseiro passam a contar com duas saídas USB adicionais, que permitem a recarga de dispositivos eletrônicos.
Na segurança, o Honda Sensing, pacote de tecnologias de segurança e assistência que é de série no Accord, foi aprimorado. O modelo traz agora a tecnologia Low Speed Braking Control, que ativa o freio em manobras de baixa velocidade, caso detecte a possibilidade de colisão. Entre os recursos do Sensing que não são novidade no sedan podem ser citados o controle de cruzeiro adaptativo com ajuste de velocidade, sistema de frenagem para mitigação de colisão e o sistema de assistência de faixa.
Apesar da inexpressividade do Accord no mercado brasileiro, a entrada do sistema híbrido tem de ser vista como um bom prenúncio, de que modelos como o Civic, segundo sedan médio mais vendido do país, ou o HR-V, que ocupa a sétima posição nacional entre os SUVs, recebam a tecnologia. A chegada dela a veículos como esses, com considerável volume de vendas, ajuda a reduzir custos e permite que ela chegue até a opções mais “baratas” como o Fit e o Civic. Em resumo, o ganho é para o mercado como um tudo.
E para concluir, o Accord híbrido deve chegar no segundo semestre de 2021 e a Honda não divulgou quanto ele vai custar. Mas para se ter uma ideia, a versão com motor a combustão já disponível no mercado nacional custa cerca de R$ 258 mil. É bastante provável que o novo modelo tenha preço superior a esse.