Pular para o conteúdo

Chevrolet Equinox: Promessa de agilidade e economia

Chevrolet Equinox: Promessa de agilidade e economia

Apesar do seu tamanho avantajado, SUV da Chevrolet faz, segundo a montadora, 9,3 km por litro de gasolina na cidade e tem torque suficiente para deixá-lo disposto nas arrancadas

No mercado brasileiro, pode-se dizer que a Chevrolet tem ótimo desempenho nos compactos, com o Ônix na segunda posição entre os carros mais vendidos do Brasil, e boa performance nos SUVs de entrada, com a quarta posição do Tracker. A expectativa, agora, é no segmento chamado “SUV premium”, com o novo Equinox. Segundo a montadora, o modelo teve alterações no design, ganhou mais tecnologia e traz a nova versão RS, com acabamento mais esportivo.
São duas configurações: a RS, já citada, e a Premier com tração integral AWD. Ambas são equipadas com os seguintes itens de série: alerta de colisão frontal com detecção de pedestre e frenagem autônoma de emergência, alerta de ponto cego com sensor de aproximação repentina, alerta de movimentação traseira, alerta vibratório de segurança no banco do motorista e alerta de esquecimento de pessoas ou objetos no banco traseiro.
Em relação ao design, a versão Premier vem com frisos cromados, novas rodas aro 19 com acabamento diamantado em dois tons, teto solar elétrico panorâmico e faróis tipo projetor em LED. Já na RS os cromados, as rodas e o rack no teto são escurecidos. As dimensões são as seguintes: 4.652 mm de comprimento, 2.725 mm de entre-eixos, 2.105 mm de largura e 1.843 mm de altura. O porta-malas comporta 468 litros, podendo chegar a 1.627 litros com os bancos rebatidos.
No habitáculo, o teto preto e linhas vermelhas que decoram bancos, volante, alavanca de câmbio e paineis são próprios da RS. Já o modelo topo de linha tem como diferenciais itens de tecnologia e conforto: sistema de áudio da marca Bose, bancos elétricos com duas memórias, apliques decorativos no painel e portas dianteiras em LED, partida do motor por controle remoto para pré-climatizar a cabine, assistente semiautônomo de estacionamento e abertura elétrica da tampa do porta-malas com sensor de movimento.
Falando de mais componentes tecnológicos, as duas versões do Equinox trazem o sistema OnStar para serviços de emergência e segurança, a nova geração do aplicativo myChevrolet App para comandar funções do carro à distância, o recurso OTA (over the air) para atualizações remotas de sistemas eletrônicos do veículo e o sistema multimídia MyLink com quatro novos recursos: projeção do Android Auto e Apple Car Play sem a necessidade de cabo, wi-fi nativo, Spotify e Alexa.
Começando pelo wi-fi, ele permite conectar simultaneamente até sete aparelhos. O serviço de streaming Spotify é baixado diretamente no MyLink. Segundo a Chevrolet, isso faz com que o usuário não precise usar o plano de dados do smartphone, por exemplo, para acessar músicas e podcasts. A incorporação da Alexa é mais uma novidade que estreia com o Equinox. “O usuário pode pedir para a Alexa tocar músicas, fazer consultas diversas, obter direções, adicionar itens à sua lista de compras e controlar dispositivos de smart home apenas com a voz”, dia a montadora.
Por fim, o aplicativo myChevrolet para smartphone e smartwatch permite comandar funções do carro a distância, fazer diagnósticos remotos, consultas técnicas e agendar serviços na rede autorizada. Entre as funções possíveis estão comandos remotos (ligar e desligar o motor para pré-climatização da cabine, travar e destravar as portas, acionar luzes e buzina) e obter a localização do veículo (informação que pode ser compartilhada com outras pessoas).
O Equinox é equipado com motor 1.5 turbo com injeção direta de gasolina e transmissão automática com opção de troca manual de marchas. São 172 cavalos e 27,8 kgfm de força. No caso da versão RS, a aceleração de 0 a 100 km/h pode ser feita em 9,2 segundos. Sobre o consumo, a Chevrolet diz que o modelo faz, com gasolina, 11,5 km/l na estrada e 9,3 km/l na cidade.
A tração AWD, disponível no Equinox Premier, pode variar o envio de torque para cada uma das rodas, de acordo com a necessidade, para maior aderência do veículo. O condutor tem a opção de desabilitar o recurso, mesmo com o carro em movimento, e trafegar apenas com tração nas rodas dianteiras. Caso o sistema identifique alguma situação de risco, aparece uma mensagem no painel aconselhando o condutor a reativar a tração integral.
Infelizmente a Chevrolet não divulgou, até o fechamento desta edição de Auto Revista Ceará, uma informação básica e importante: os preços do novo Equinox (o motivo pelo qual as montadoras fazem isso, algumas vezes, é um mistério). De qualquer forma, os veículos que disputam mercado com o modelo estão na faixa entre R$ 170 mil e R$ 200 mil. Como o mercado brasileiro tem uma concorrência na qual os carros do mesmo segmento têm diferenças mínimas no preço, é de se esperar que o SUV fique nessa faixa.