Pular para o conteúdo

Carro dos sonhos: Audi urbansphere concept

Carro dos sonhos: Audi urbansphere concept

Videoconferências, sessões de relaxamento e meditação e reuniões de negócio durante os deslocamentos. Esse é o futuro que o modelo, elétrico e com tecnologia autônoma, promete

Um supercarro projetado para um super mercado. Assim pode ser definido o Audi urbansphere, modelo elétrico e autônomo pensado para as megacidades com tráfego intenso da China, país com mais de 2 bilhões de habitantes. Segundo a fábrica, ele “oferece o maior espaço interno de qualquer Audi até hoje” e é resultado do trabalho conjunto dos seus estúdios de projeto em Beijing e Ingolstadt (Alemanha). A ideia foi fazer um automóvel espaçoso o suficiente para atuar “como uma sala de estar sobre rodas e um escritório móvel, servindo como terceiro espaço habitacional durante o tempo gasto no trânsito”.
O urbansphere faz parte de um projeto maior, com mais dois modelos: skysphere e grandsphere. “São os três veículos conceito que a Audi desenvolveu para exibir sua visão para o mundo de amanhã da mobilidade premium”, diz a empresa. Com 5,51 metros de comprimento, 2,01 metros de largura, 1,78 metro de altura e entre-eixos de 3,4 metros, ele é o maior dos três.
Para reforçar a ideia de uma “sala de estar sobre rodas”, as portas do Audi urbansphere concept são de abertura ao contrário na frente e na traseira, dispensando a carroceria da coluna B (aquela coluna de metal entre as duas portas que existe em carros comuns). Os bancos giram para fora e um tapete vermelho de luz é projetado sobre o piso, próximo ao veículo. Segundo a Audi, isso “transforma o simples ato de entrar no carro em uma experiência de conforto”.
São quatro bancos individuais em duas fileiras que oferecem uma ampla gama de opções de ajuste. Nos modos Relax e Entertain, o encosto pode ser inclinado até 60 graus enquanto as pernas continuam esticadas. Os bancos, giratórios, permitem que os passageiros, durante uma conversa, fiquem face a face. Por outro lado, pessoas que preferirem algum isolamento podem ocultar sua área de cabeça da pessoa sentada ao lado usando uma tela de privacidade montada atrás do apoio para cabeça. Além disso, cada banco tem sua própria zona sonora com alto-falantes individualizados.
Mas se os passageiros da fila de trás quiserem usar juntos o sistema de entretenimento do carro, uma tela OLED transparente de tamanho grande gira verticalmente e se posiciona entre as fileiras de bancos. Essa tela ocupa a largura total do interior e permite participar de uma videoconferência ou assistir a um vídeo. Como é transparente, quando ela está desligada não atrapalha a visão, seja estando entre as fileiras e bancos ou no teto. Por fim, o volante, os pedais e o painel de instrumentos do carro podem ficar ocultos durante a condução autônoma – um dos recursos de tecnologia disponíveis.
Para se ter ideia do nível de requinte, um sistema de detecção de estresse escaneia o rosto e analisa a voz para determinar como os passageiros estão se sentindo. Ele oferece sugestões personalizadas para relaxar como, por exemplo, um aplicativo de meditação que pode ser usado através da tela pessoal e da área particular de som nos apoios para cabeça.
Quando o veículo é ligado, vários displays são distribuídos em toda a extensão do interior, exibindo as informações de viagem em alta resolução. Uma barra de sensores debaixo das superfícies de projeção permite mudança do conteúdo – por exemplo, para música ou navegação – e mostra as funções e aplicativos que estejam ativos. Outro recurso do Audi urbansphere concept é que ele se ajusta ao usuário e aprende suas preferências e funções usadas frequentemente. Com base nisso, pode dar sugestões personalizadas sobre as opções de conforto.
Os dois motores elétricos (um em cada eixo) do Audi urbansphere concept são capazes de entregar uma potência total de 295 kW (quase 400 cavalos) e um torque de 690 Nm. Como legítimo Audi, o modelo é equipado com sistema de tração 4×4 permanente, que distribui a força para as rodas eletronicamente de acordo com a demanda. O motor no eixo dianteiro pode ser desativado para reduzir o consumo de energia.
Um dos grandes desafios para carros elétricos, o tempo de carga da bateria, no caso do veículo da Audi, representa uma significativa evolução. São necessários só dez minutos para carregar em nível suficiente para conduzir o veículo por mais de 300 km. E em 25 minutos com o carro ligado na tomada, o motorista vai ter uma autonomia de até 750 km.
Apesar de não fazer a menor diferença para a maioria dos mortais, já que os modelos da seção Carro dos Sonhos têm preços na estratosfera, Auto Revista Ceará costuma colocar quanto eles custam. No caso do urbansphere, no entanto, como se trata de um conceito, não há valor estipulado para ele. Mas certamente, com todos os seus recursos, o carro custaria mais que um top de linha como o e-tron, que no Brasil é vendido por mais de 600 mil reais. Não seria exagero dizer que por aqui o urbansphere, se estivesse disponível nas concessionárias, com certeza iria passar de R$ 1 milhão.